Ir para conteúdo principal

Olá! Está disponível uma avaliação gratuita dos planos Standard e Essentials. Comece grátis hoje mesmo.

Tipos de API para empresas

Conheça os tipos de API para empresas de sucesso e veja como escolher o melhor para seus negócios.

As APIs (application programming interface ) são peças cruciais de software que permitem que os dispositivos se comuniquem entre redes. Disso você já sabe, mas pode não estar intimamente familiarizado com todos os aspectos das APIs. Se não, você está no lugar certo.

Ao dedicar alguns minutos aprendendo sobre APIs e como elas funcionam em várias circunstâncias, você pode ampliar seus horizontes e, por fim, explorar novas maneiras de alcançar o sucesso dos negócios.

Abaixo, você encontrará um detalhamento dos tipos comuns de APIs e as arquiteturas por trás de seus projetos. Com essas informações, você aprenderá exatamente como as APIs estão ajudando tantas empresas. Você também terá o conhecimento para ajudá-lo a desenvolver APIs ou trabalhar em qualquer aspecto do seu negócio que possa ser auxiliado pela tecnologia moderna.

Principais tipos de APIs

Uma das melhores maneiras de entrar em uma discussão sobre APIs é destacar os quatro tipos diferentes de APIs disponíveis. Provavelmente, você poderia criar mais de quatro categorias, mas a grande maioria das APIs se enquadra confortavelmente nas seguintes classificações: aberta, parceira, composta e interna. Eles são conhecidos como os tipos principais de chamadas de API.

Quer você esteja desenvolvendo APIs para um fluxo de trabalho automatizado ou fazendo formulários de inscrição pop-up (ou qualquer outra coisa envolvendo comunicação API), você descobrirá que qualquer um desses quatro tipos é crucial para o desenvolvimento.

Vejamos cada um mais detalhadamente para ver o que surge.

Aberta ou pública

O termo “aberta” em referência a uma API é o mesmo usado para descrever qualquer software. Software aberto é um software em que o código é disponibilizado publicamente e livre para uso ou adaptação por qualquer pessoa.

Assim, APIs abertas (ou públicas) são bits de software que já foram escritos e que qualquer pessoa pode usar ou adaptar essas APIs conforme julgar adequado.

Muitas APIs são abertas especificamente para que aplicativos e ferramentas adicionais possam se conectar facilmente aos sistemas existentes. Por exemplo, o Google mantém um grande número de APIs abertas que facilitam a criação de sistemas que se integram perfeitamente ao Google Chrome pelos desenvolvedores da web.

Parceira

As APIs parceiras são projetadas especificamente para comunicação entre parceiros de negócios. Como exemplo, a Apple e a AT&T poderiam desenvolver APIs que ajudam os iPhones a se comunicarem com a infraestrutura de comunicação da AT&T.

As APIs parceiras não precisam estar nessa escala. Os parceiros de negócios podem desenvolver uma API que facilita a comunicação de seus sistemas entre si. Um exemplo disso poderia ser APIs usadas para automatizar e-mails entre duas organizações.

Além disso, as APIs parceiras podem usar software aberto ou fechado para operar, o que significa que você pode ter uma API parceira aberta e de uso gratuito.

As APIs parceiras são frequentemente úteis para pequenas e médias empresas, com a mesma frequência com que ajudam grandes empresas. É importante manter isso em mente. Ignorar esse tipo de API pode limitar o quanto você aproveita a tecnologia para sua empresa.

Composta

Uma API composta combina várias APIs em um único serviço. De modo geral, as APIs fazem solicitações frequentes para facilitar a comunicação entre dispositivos. Como os dispositivos comuns são complicados e utilizam muitas APIs diferentes, a soma total da comunicação pode exigir um grande número de viagens digitais entre dispositivos para funcionar corretamente.

APIs compostas buscam especificamente maneiras de combinar funções e solicitações de API para tornar a comunicação mais eficiente.

Como exemplo, APIs compostas podem organizar a comunicação para acionadores de automação de e-mail. Uma empresa de varejo pode ter e-mails de carrinho abandonado que são enviados automaticamente depois que um carrinho de compras on-line não é comprado por um período específico. Este sistema requer múltiplos disparos de comunicação entre dispositivos de usuário, servidores e muito mais; portanto, as APIs compostas são apropriadas para consolidar recursos de comunicação.

Interna ou privada

APIs internas e privadas são a mesma coisa. São APIs criadas em torno da lógica interna para um negócio ou grupo específico. Essas APIs são hospedadas em servidores internos (geralmente) e também são desenvolvidas internamente.

APIs privadas normalmente servem funções muito específicas que não fariam sentido em outra organização. Por exemplo, uma empresa de logística pode usar APIs para facilitar a comunicação com o armazém. Elas podem funcionar em protocolos de API de armazenamento personalizados; portanto, não seriam úteis para outro negócio, mesmo no mesmo setor.

O ponto principal aqui é que as APIs internas são altamente personalizadas.

Comparação de arquiteturas de API

Acima, discutimos os tipos de API, mas há mais coisas que entram na discussão. Também é importante entender as arquiteturas que afetam o design da API. Ao considerar quantas APIs existem no mundo, conhecer as arquiteturas mais comuns pode ajudar a definir um senso de escala.

Veja abaixo as três arquiteturas de API mais comuns. Para ser mais específico, elas não são necessariamente arquiteturas. Em alguns casos, são melhor descritas como filosofias ou paradigmas de design. Independentemente disso, muitas vezes você desenvolverá suas APIs de acordo com um desses três sistemas maiores.

REST

O REST não é, na verdade, um protocolo ou um padrão. Em vez disso, é um conjunto de restrições aplicadas a uma arquitetura de API. Embora o conjunto completo de restrições seja longo e complicado, algumas restrições principais destacam a essência do REST (também conhecido como RESTful).

  • Primeiro, uma API REST usa HTTP para se comunicar em uma estrutura que tem clientes, servidores e recursos.
  • Segundo, o REST não permite que APIs armazenem informações entre solicitações. Isso é conhecido como comunicação “stateless” (sem estado).
  • Terceiro, as APIs REST usam dados em cache, o que ajuda na eficiência cliente-servidor.
  • Por fim, o REST requer que qualquer interface entre os componentes de um sistema seja uniforme. Há uma lista completa de restrições em torno dessa generalização específica, mas o ponto é que todas as interfaces REST são consistentes.

O REST é uma filosofia comum de design de API porque essas restrições tornam o desenvolvimento e a integração mais fáceis e confiáveis.

RPC

A chamada de procedimento remoto (Remote Procedure Call, RPC) é uma abordagem simplificada para a interação com a API. É usado para criar APIs dde serviçis Web que podem se comunicar via HTTP ou AMQP.

O RPC é um paradigma mais antigo para o desenvolvimento de API. Como tal, é bastante simples e, quando essa simplicidade é suficiente, torna as interações de API rápidas, fáceis e confiáveis.

O recurso de identificação do RPC é que ele coloca o método de API na URL. Os argumentos são deixados no corpo. Como resultado, o cliente executa a grande maioria das operações de API.

SOAP

O RPC foi implementado em várias arquiteturas, e o mais proeminente delas é o SOAP (Protocolo de Acesso de Objeto Simples). As APIs SOAP são virtualmente construídas em cima de XML, e isso traz alguns prós e contras.

No lado positivo, o SOAP é independente da linguagem, portanto funciona da mesma forma em todas as linguagens de programação. Também é independente de transporte, independente de plataforma e adequado para tratamento de erros integrado.

Por outro lado, o SOAP não é a arquitetura mais rápida. O SOAP contribui para operações de superfície explícitas, o que é bom para consistência, mas retarda a comunicação intensa em ambientes modernos.

Benefícios de usar APIs

Agora que você conhece algumas APIs e suas arquiteturas, é mais fácil entender como elas podem beneficiar seu negócio.

Ao desenvolver suas próprias APIs, você pode simplificar as ferramentas de automação. Você pode criar um software que permita que suas ferramentas se comuniquem entre si e, com o uso de APIs privadas, você pode personalizar esse software conforme necessário.

Com uma mentalidade semelhante, você pode aproveitar o desenvolvimento de APIs abertas para ajudar seus sistemas a se integrarem a aplicativos de terceiros. Você pode até mesmo deixar a porta aberta para desenvolvedores terceirizados criarem APIs para ferramentas que funcionem bem com sua empresa.

Outros benefícios do uso de APIs incluem a coleta, agregação e segmentação de dados e melhoria da comunicação, como por meio de postagem em redes sociais.

As opções são infinitas quando se aprende como aproveitar as APIs para as metas da sua empresa.

Como escolher APIs para sua empresa

É uma pergunta importante. Você tem essas opções, então como fazer a escolha certa?

Na maioria dos casos, as necessidades que impulsionam o desenvolvimento das APIs afetarão sua decisão final. Qual é a finalidade da API? O que deve ser feito? Se ela tiver que funcionar em um ambiente altamente personalizado, uma API privada será necessária. Se você precisar que ela seja acessível a desenvolvedores terceirizados, provavelmente você deve torná-la aberta.

Faça a si mesmo as perguntas-chave. O que você precisa que a API faça? Como você pode atingir suas metas? Depois de listar essas respostas, você saberá qual direção deve seguir e seu desenvolvimento de API progredirá naturalmente.

Implementação de APIs em sua empresa

Com uma visão mais ampla das APIs, seus tipos e as arquiteturas comuns, você está pronto para começar. Você pode procurar algumas ferramentas de desenvolvimento que o ajudem a produzir APIs melhores com investimentos menores de tempo e esforço.

Para essas ferramentas, basta procurar o Mailchimp. Mesmo que sua meta seja tão simples quanto criar sua lista de e-mails e automatizar mensagens transacionais, o Mailchimp está aqui, pronto para ajudar.

Compartilhar este artigo