Como abrir um negócio de e‑commerce — Guia completo

Há muito a se fazer ao começar a abrir um negócio de e‑commerce. Pode parecer desanimador dar o primeiro passo, mas não é preciso ser assim.

Tudo pronto para lançar seu negócio on-line? Agora, você pode vender seus produtos ou disponibilizar horários diretamente em seu site com as soluções de comércio do Mailchimp. Além disso, nossos recursos integrados de marketing ajudam a impulsionar as vendas e expandir seu negócio.

As ferramentas necessárias para você iniciar um comércio online estão mais acessíveis do que nunca – assim como as pessoas que poderiam comprar seu produto. Os dados mostram que as vendas no varejo do e-commerce estão em alta e 80% dos americanos estão comprando online agora. Esse cenário é um grande potencial para você iniciar seu e-commerce e conquistar seu próprio nicho no mercado.

Mas com esse potencial, surgem muitos desafios. Há muito a ser feito quando você está aprendendo a criar um e-commerce. Pode parecer desgastante dar o primeiro passo, mas não precisa ser assim.

Comece elaborando os conceitos básicos de seu plano de e-commerce, como, por exemplo, o que e como você venderá. Mapeie como você deseja abordar o universo do e-commerce e identifique o que o ajudará a ter sucesso. Com um forte plano de ação e algumas ferramentas poderosas à sua disposição, você pode construir sua marca e iniciar seu e-commerce rapidamente.

1. Escolha o seu nicho

Para iniciar um e-commerce de sucesso, você precisará encontrar o nicho certo. Qual é a sua área de especialização? Que conhecimento ou habilidade comercial você possui? Onde essas habilidades se encaixam no mercado? Que tipo de produtos você deseja vender?

Você deve ter uma noção do tipo de negócio que estará administrando, então comece pesquisando o mercado. Analise outros negócios em seu setor e veja seus erros e acertos. Ao examinar um exemplo de um e-commerce particularmente bem-sucedido em seu setor, pergunte-se:

  • Como ele está atraindo clientes?
  • O que chama sua atenção no site?
  • Qual é o seu modelo de negócios?

Alguns questionamentos sobre logística que você precisará considerar ao encontrar seu nicho incluem:

  • Seu produto é físico ou digital? Determine que tipo de produtos você deseja vender.
  • Se for um produto digital, como você vai adquiri-lo?
  • Você consegue cuidar da produção por conta própria ou precisará de ajuda?
  • Você baseará seus negócios em pedidos únicos, pacotes ou modelo de assinatura?

Obtenha o máximo de ideias possíveis, pois o mercado de e-commerce passou por um crescimento tão acelerado que haverá muita concorrência. Você deve pensar seriamente sobre o que diferencia você e seu negócio antes de iniciar seu e-commerce do zero.

Se tiver experiência em algo que esteja sob alta demanda, aproveite. Se você tiver anos de experiência em redação freelance, por exemplo, crie um blog para escrever sobre essa habilidade e se definir como um empreendedor no setor. Você pode usar seu e-commerce para oferecer serviços de edição, impressão sob demanda ou cursos online pagos em sua área de especialização.

2. Pesquise

Identifique os principais concorrentes em sua área e pesquise sobre sua história e modelo de negócios, e obtenha ideias de produtos ao apurar quais produtos estão em alta. Procure saber o que eles estão fazendo que você pode fazer parecido. Descubra o que as pessoas estão buscando em seu setor ou nicho e veja como você pode fornecer isso de uma maneira especial.

Você também precisará identificar as barreiras de entrada em seu campo e encontrar uma maneira de superá-las. Você precisará investir em anúncios? Em um software de e-commerce? Em equipamento fotográfico caro ou software de design? Se a resposta for sim e você não necessariamente tiver dinheiro para isso, quais serão as soluções alternativas? O que você pode fazer com o que tem no momento? É normal começar com pouco e de forma simples ao montar um e-commerce.

Identifique as lacunas que você acredita que seu produto ou serviço pode preencher no mercado. Mesmo se estiver fornecendo algo que já existe, não desanime. Apenas tente fornecer de uma forma única.

Depois de identificar sua posição no mercado e o valor que você agregará ao cliente, realize uma análise SWOT - que significa Pontos Fortes, Pontos Fracos, Oportunidades e Ameaças. Isso pode ajudá-lo a identificar possíveis obstáculos e planejar o futuro de seu e-commerce.

Pontos fortes e fracos são elementos que você normalmente pode controlar, como:

  • A cultura da empresa
  • Sua reputação
  • Sua base de clientes
  • Localização geográfica
  • Parcerias
  • Propriedade intelectual
  • Ativos

Oportunidades e ameaças, por outro lado, são coisas que você não consegue controlar completamente, mas para as quais pode se planejar, como:

  • Regulamentos
  • Quais são os fornecedores do seu mercado
  • Seus concorrentes
  • A economia
  • O tamanho do mercado
  • As tendências do mercado
  • Lacunas no financiamento

3. Escolha seu produto e mercado-alvo

Existem várias estratégias testadas e comprovadas que você pode usar para escolher seu primeiro produto lucrativo de e-commerce. Você pode escolher algo que solucione uma dificuldade no mercado, explorar um pequeno nicho, como os dos que se dedicam a algum hobby, ou mergulhar em um sonho pessoal. Use essas estratégias para encontrar o produto ou serviço perfeito para comercializar.

Reflita sobre os produtos que você venderá

Ao criar seu produto, pense em sua experiência pessoal. Você já trabalhou em um determinado setor que lhe dá uma visão que outras pessoas não têm?

Se você tem facilidade em detectar tendências, deixe que isso também influencie sua decisão. Existe algo no mercado de que as pessoas precisarão em breve, com base nas tendências do seu setor? Reconhecer uma tendência relevante pode transformar você em um pioneiro no mercado logo no início.

É importante observar que tendências e modismos são duas coisas diferentes. Um modismo é algo com um aumento momentâneo de popularidade devido ao seu senso de novidade. Construir seu negócio em torno de um modismo quase certamente significará que a demanda acabará quando a publicidade exagerada sumir.

Uma tendência, por outro lado, é algo que satisfaz uma necessidade existente de uma maneira nova. Por satisfazer uma necessidade existente, não é algo de que as pessoas provavelmente se cansarão rapidamente. Os modismos podem representar uma boa oportunidade de marketing, mas as tendências têm mais poder de permanência.

Você pode identificar tendências ao:

  • Utilizar a escuta social. Navegue em partes das redes sociais que outras pessoas de seu setor ou clientes-alvo utilizam. Procurar hashtags populares ou usar ferramentas de escuta social para coletar dados ao longo do tempo também pode fornecer informações valiosas.
  • Acompanhar tendências de pesquisa. O Google Trends é um ótimo lugar para observar quais produtos estão sendo mais pesquisados pelas pessoas. Ele também pode informar as palavras-chave usadas com mais frequência nas pesquisas e quais problemas as pessoas normalmente estão tentando solucionar.
  • Navegar em sites de e-commerce e sites agregadores. Páginas como Trend Hunter ou diversos subreddits para o seu nicho podem indicar o desenvolvimento de tendências antes que elas se popularizem.

As análises dos clientes também fornecem uma grande quantidade de dados sobre o que seus compradores em potencial esperam de um produto. Procure avaliações de produtos semelhantes ao que você tem em mente e veja o que as pessoas afirmam estar faltando. É um ótimo recurso para obter ideias de novos produtos. Se puder, incorpore isso em seu produto ou serviço. Satisfazer uma necessidade não atendida é uma boa maneira de diferenciar seu produto em um mercado saturado.

Ao pesquisar palavras-chave, procure-as fora do Google. Embora o Google seja o mecanismo de busca que a maioria das pessoas utiliza, mercados online como Amazon e eBay também têm suas próprias funções de busca.

Se estiver pensando em vender um produto, digite o nome dele nesses sites e veja quais palavras-chave aparecem. Vamos supor que você venda facas. Ao digitar a palavra na barra de pesquisa da Amazon, termos de pesquisa sugeridos como "conjuntos de facas de cozinha" e "facas de cozinha com afiador" são exibidos. Esses resultados dão uma ideia do que as pessoas estão procurando naquele produto.

Encontrando seu mercado-alvo

Ao coletar informações sobre o produto, estude seu mercado-alvo. Quem é seu cliente ideal? Quais são as características dele? É aqui que a criação de perfis de clientes é útil.

Os perfis são versões fictícias de seus clientes ideais que permitem que você examine e preveja como serão seus comportamentos. Você pode criar uma imagem da pessoa que acredita que mais se beneficiaria de seu produto ou serviço e, em seguida, descobrir como atrair sua atenção.

Faça perguntas como:

  • Qual a idade desta pessoa?
  • Onde ela mora?
  • Quanto ela ganha?
  • Quais são as causas importantes para ela?

A partir daí, você pode inferir onde ela provavelmente estará online e a quais mensagens ela provavelmente responderá. Essas informações ajudarão você a fazer marketing do seu produto com eficácia quando for o momento de inaugurar sua loja de e-commerce.

4. Valide seu produto

Agora que você desenvolveu uma ideia para seu produto e sabe para quem deseja vendê-la, precisa descobrir se consegue realmente executar sua ideia. Em outras palavras, você precisa analisar se o seu negócio será viável.

Você pode usar vários critérios para avaliar a viabilidade do seu produto. Os critérios de avaliação podem ser divididos em duas categorias principais: critérios baseados no mercado e critérios baseados no produto.

Critérios baseados no mercado

São fatores de mercado que influenciarão seu produto e modelo de negócios. Observe:

  • O tamanho do mercado e a demanda por seu produto/serviço
  • Seus concorrentes
  • Se é uma tendência, modismo, um mercado em crescimento ou um mercado estável
  • Se os clientes conseguirão obter este produto/serviço localmente
  • Seus clientes-alvo

Critérios baseados no produto

Depois de obter uma ideia da direção que o mercado está tomando e para quem você está fazendo marketing, você poderá prosseguir para o próximo conjunto de critérios. Analise:

  • Seu preço de venda potencial
  • A margem de lucro potencial do seu produto ou serviço
  • Quantos tipos ou estilos de produto você vai estocar
  • Se você vai oferecer uma assinatura
  • O tamanho, o peso e a durabilidade do seu produto, caso esteja vendendo algo físico
  • Se você provavelmente terá flutuações sazonais de compra
  • Se seu produto ou serviço soluciona um ponto problemático no mercado ou realiza um sonho pessoal
  • Se o seu produto é consumível, descartável ou perecível
  • Quaisquer regulamentos ou restrições em relação ao seu produto

Analise seus resultados

Ao analisar os critérios baseados no mercado e no produto, você tem uma ideia do custo de administrar um negócio online. Por exemplo, se você estiver vendendo um produto físico e o preço for baixo, você precisará vender mais para obter lucro, diferentemente se estivesse vendendo algo com valor maior.

Os produtos digitais, no entanto, são mais baratos de criar e podem ter um preço mais elevado de acordo com o valor que fornecem. Isso pode transformá-los em uma opção mais viável para um pequeno empresário ou um empreendedor solo que está começando agora.

Esses critérios podem dar uma boa ideia do potencial do seu produto ou serviço e ajudar você a evitar erros comuns cometidos em seu nicho de mercado. Se, depois de examinar todos esses fatores, você determinar que há mercado suficiente para o seu produto, você pode passar a proteger outros aspectos da sua empresa antes de lançar e expandir seu negócio de varejo.

5. Decida como você obterá seu produto

Se você estiver vendendo um produto físico, precisará descobrir um modelo para obtê-lo e enviar os pedidos aos seus clientes. Existem alguns modelos que você pode explorar aqui:

Produza

Você mesmo faz o produto, manualmente, e o entrega ao cliente. Esta é uma opção altamente favorável se o seu produto puder ser fabricado a baixo custo com ingredientes que você mesmo possa obter, como sabonetes artesanais ou cerâmica. Você precisaria comprar ingredientes em lotes menores para começar, e sua margem de lucro seria menor. Mas você também pode controlar o custo e o risco e aumentar a escala quando tiver mais recursos.

Fabrique

Se o seu produto for algo que você não tenha experiência ou ferramentas para produzir sozinho, você poderá fazer parceria com um fabricante. Essa opção só faz sentido se você planeja vender seu produto em grandes quantidades, pois os fabricantes geralmente exigem que você faça pedidos grandes. Você precisará cobrir o custo desses pedidos em grande quantidade caso queira seguir esse caminho.

Compre no atacado e revenda

Essa opção abrange a compra de versões comerciais ou independentes do produto desejado e sua venda por meio de sua loja, com uma margem de lucro. Não há muito controle de preço nesta opção, pois o fabricante define o preço de compra e o mercado define a margem de lucro. As margens para venda de produtos no atacado são de cerca de 50%; portanto, se você comprou um produto por US$ 8 por unidade, normalmente o venderia por US$ 16.

Estoque na fonte

O estoque na fonte é uma boa opção caso não queira lidar com o estoque por conta própria. O método envolve a parceria com outra empresa que envia o produto depois que o pedido é realizado pelo cliente. Já que não há custo inicial para isso, sua margem é de apenas cerca de 20%. Você listaria o pedido em seu site, e seu parceiro de estoque na fonte o entregaria.

Ofereça digitalmente

Publicações em blogs, modelos, aulas de vídeo online, dicas e recursos – qualquer coisa que as pessoas possam baixar podem se transformar em um produto. Os produtos digitais também podem ser um serviço como redação, terapia ou design.

Downloads ou serviços digitais são convenientes para os clientes e, dependendo do que você está vendendo, geralmente também têm um custo indireto baixo. Isso significa que oferecer produtos digitalmente é uma boa opção se você está começando agora. Não tenha medo de experimentar coisas diferentes até encontrar o produto certo para o seu negócio.

6. Escreva o seu plano de negócios

Você precisará de um roteiro para manter seus negócios nos trilhos. Após decidir sobre todas as noções básicas, escrever um plano de negócios ajudará você a estabelecer metas e obter os detalhes realmente necessários para administrar sua empresa e alcançar seus clientes.

Se você pretende pegar um empréstimo comercial, os credores e investidores exigirão que você tenha um plano de negócios. Faça um plano o mais completo e profissional possível.

Seu plano de negócios deve incluir:

  • Qual é o seu tipo de negócio
  • O que você está vendendo
  • Como sua empresa ganhará dinheiro
  • Uma lista de funcionários e executivos
  • Onde você está obtendo financiamento
  • Seu modelo de operações

Lembre-se do público-alvo ao desenvolver seu plano. Caso haja investidores, demonstre que você sabe o que está fazendo. Se for contratar funcionários, deixe claro quais são seus valores e como eles serão aplicados.

O esboço do seu plano de negócios será mais ou menos assim, do começo ao fim:

  1. Sumário executivo
  2. Visão geral da empresa
  3. Análise de mercado
  4. Produtos e serviços
  5. Plano de marketing
  6. Logística e plano de operações
  7. Plano financeiro

Caso deseje algo mais detalhado, há muitos modelos de planos de negócios gratuitos online.

O mais importante é saber qual é o objetivo ao escrever o seu plano. Um plano de negócios destinado a garantir fundos para uma startup será diferente de um que visa apenas descrever o negócio para si mesmo, por exemplo.

Mantenha um tom consistente ao longo do documento. A melhor forma de garantir isso é que ele seja escrito inteiramente pela mesma pessoa ou editá-lo completamente antes de enviá-lo para alguém de fora.

Por último, o seu plano de negócios deve ser resumido e direto. Deve ter de 15 a 20 páginas no máximo. Ele deve ter o tamanho suficiente para transmitir as informações relevantes sem ser cansativo.

7. Escolha o nome comercial e a estrutura jurídica

Dar um nome para sua loja é um dos aspectos mais difíceis na criação de um e-commerce. Você precisará elaborar algo que chame a atenção, descreva sua marca e ainda não tenha sido escolhido por outra pessoa.

Geralmente é possível pesquisar a disponibilidade de nomes comerciais no site da Junta Comercial de seu estado. Também é uma boa ideia pesquisar em seu Escritório de patentes e marcas registradas local.

A escolha de um bom nome comercial estabelecerá uma identidade para sua loja. Vejamos, por exemplo, a marca Death Wish Coffee (Café Desejo de Morte, em tradução literal). De imediato, o nome já transmite que esta loja é para quem quer tomar o café mais forte possível. O nome faz parte da representação da marca da empresa, com elementos hardcore de caveira e ossos, e o produto em si é voltado para o tipo de consumidor atraído por essa estética.

Ao elaborar um nome comercial, lembre-se:

  • Seja conciso
  • Apresente um diferencial
  • Seja criativo
  • Seja original

Utilize um gerador de nomes comerciais para ajudar você a encontrar nomes interessantes. Após escolher um nome e verificar se já não está sendo utilizado, você precisará registrá-lo como um domínio online. Você usará seu nome de domínio para criar sua loja online e marca, facilitando sua busca na internet.

Você também usará o nome de seu negócio ao registrá-lo. O tipo de registro escolhido poderá afetar você de forma legal e financeira no futuro, então vale a pena analisar antes para determinar qual tipo de estrutura legal é ideal para você.

Você poderá registrar seu negócio como:

  • Empresa individual
  • Sociedade geral
  • LTDA
  • Corporação

Cada um terá suas vantagens e desvantagens. Se possível, consulte um advogado ou outro especialista jurídico para determinar qual você deve escolher.

Se você for proprietário de uma empresa, provavelmente desejará se registrar como único proprietário. Se optar por esta alternativa, não será legalmente necessário registrar sua empresa em seu estado. Sua empresa ficará apenas associada ao seu nome legal.

Isso também é válido para sociedades gerais, mas você precisará solicitar o registro de um nome fantasia ao governo local.

8. Solicite um CNPJ, alvarás e licenças

A abertura de um CNPJ pode ser útil pois ajuda a manter as finanças pessoais e comerciais separadas. Você pode abrir um CNPJ no site do Governo Federal, e o número geralmente é atribuído na hora. O cadastro também pode ser feito presencialmente nas unidades de atendimento da Receita Federal.

Você também deve solicitar todas os alvarás ou licenças necessárias de seu estado. Se você administrar seu e-commerce inteiramente de casa, não precisará do mesmo tipo de licença que uma loja física exige.

Dito isso, você precisará se certificar de que tudo esteja sob controle. Acesse o site de seu governo local para verificar quais alvarás ou licenças são necessárias em seu estado.

Os tipos de alvarás ou licenças que você talvez precise para o seu negócio incluem:

  • Licenças profissionais e comerciais para certas indústrias
  • Autorizações de imposto sobre vendas
  • Licenças relacionadas à saúde, segurança e meio ambiente
  • Licenças para sinalização

Se você precisar de alvarás ou licenças, esteja ciente de que provavelmente você terá que pagar uma taxa por elas. Adicione essas despesas ao seu orçamento de negócios antecipadamente para que não tenha que lidar com surpresas financeiras no futuro.

9. Crie sua loja online

Agora que está pronto para decolar, é hora de escolher uma plataforma e criar sua loja online. Configurar um site de e-commerce pode ser um desafio, mas existem muitas opções de plataformas; portanto, analise qual se adapta melhor às suas necessidades.

Os recursos do criador de sites do Mailchimp, por exemplo, permitem que você crie um site com aparência profissional que se integre a plataformas de e-commerce como o Square e o Shopify. Em pouco tempo, você estará pronto para receber pagamentos.

Escolha um software de e-commerce que permita personalizar sua loja, adicionar marca, personalizar o gateway de pagamento e usar o máximo de métodos de pagamento possível para alcançar todos os clientes potenciais. O planejamento de um mapa do site – da página inicial às páginas dos produtos e finalização da compra – pode ser útil. Navegue pelo site para observar se ele funcionará bem para seus clientes e se não há barreiras publicitárias que prejudiquem a venda de seus produtos.

10. Divulgue seu novo negócio

Depois que tudo estiver planejado e configurado, finalmente é hora de contar ao mundo sobre seu novo negócio e começar a vender seus produtos. Sua pesquisa sobre seu público-alvo deve fornecer uma ideia de onde você exibirá seus anúncios e qual conteúdo você criará agora que está pronto para atrair clientes.

Não tenha medo de utilizar vários canais para fazer marketing para sua base de clientes. Se você tem um blog, promova-o em várias redes sociais. Divulgue conteúdo relevante para o seu nicho no Twitter, Instagram ou YouTube. Experimente táticas diferentes em sua estratégia de marketing, como marketing no Instagram ou parceria com profissionais de marketing afiliados. Use páginas de destino que facilitem a compra de seus produtos.

Crie a página de sua loja online com a intenção de atrair novos clientes potenciais. Tenha cuidado com o texto da sua página, a descrição do produto e siga os padrões de SEO atuais. O seu site deve ser simples e fácil de navegar.

Se possível, invista em uma plataforma de gestão de relacionamento com o cliente (CRM) para gerenciar suas iniciativas de marketing. Esta ferramenta de marketing pode reunir informações detalhadas sobre dados demográficos, preferências e comportamentos do seu cliente para ajudar você a enviar as mensagens certas para as pessoas certas e no momento certo, além de aumentar as taxas de conversão.

Configure uma lista de e-mails para que você possa ter uma base de pessoas interessadas em seu produto. Você terá uma linha direta de comunicação para enviar futuras ofertas, descontos e promoções. Além disso, é uma ótima maneira de enviarem feedback sobre seu produto ou serviço após a compra.

Comece com o Mailchimp

Há muitas coisas envolvidas ao iniciar um negócio de varejo, mesmo que seja totalmente online. O processo pode parecer complexo, mas você consegue fazer! Trabalhe gradualmente e não se preocupe em deixar tudo perfeito logo no início. Aprenda fazendo e adapte-se à medida que avança. Com um pouco de tempo e prática, você terá um e-commerce de sucesso que será motivo de orgulho.

Compartilhar este artigo